Homicídio doloso registrou o menor número de vítimas dos últimos quatro anos

Karina Nascimento
21/08/2019 15:54h

Acumulado dos sete primeiros meses de 2019 é o menor para o período dos últimos 28 anos

Em julho deste ano, o indicador homicídio doloso apresentou o menor número de vítimas no estado desde agosto de 2015, 309, uma redução de 25% em relação ao mesmo período do ano passado e de 6% em relação a junho de 2019. No acumulado do ano, foram registradas 2.392 vítimas, o menor valor para o período de janeiro a julho desde 1991. Em relação ao mesmo período do ano passado, a queda foi de 23%, ou 709 mortes a menos no estado, quando comparado com o mesmo período de 2018.

O indicador letalidade violenta (homicídio doloso, roubo seguido de morte, lesão corporal seguida de morte e morte por intervenção de agente do Estado) também continua em declínio: diminuição de 7% em julho quando comparado com o mesmo período do ano passado e aumento de 6% em relação a junho de 2019. Já no acumulado do ano, foram registradas 3.566 mortes, uma redução de 14%, ou 578 vítimas a menos em comparação com o ano anterior.

Em julho deste ano, 10 pessoas foram vítimas de roubo seguido de morte (latrocínio) e no acumulado do ano, 77 (34 a menos do que no mesmo período do ano passado). Em 2019, o indicador registrou a menor soma para o período desde 2014. As mortes por intervenção de agente do Estado aumentaram 49% em julho deste ano em relação ao mesmo período do ano passado.

Apreensão de armas

Nos sete primeiros meses deste ano, as polícias Civil e Militar apreenderam 5.077 armas de fogo, ou seja, foram retiradas das ruas do estado, em média, 24 armas por dia. No mesmo período foram apreendidos 349 fuzis – o maior registro de apreensão desse tipo de arma desde o início da série histórica, em 2007.

Roubos em queda

Os crimes contra o patrimônio também continuam atingindo resultados positivos este ano. Em julho, os roubos de veículos registraram queda de 9% em relação ao mesmo mês de 2018. No acumulado do ano, a diminuição foi de 22% (o menor valor para o período desde 2017). Já nos roubos de rua (roubo a transeunte, roubo em coletivo e roubo de aparelho celular), a redução foi de 8% em julho e, no acumulado do ano, de 3% em relação a 2018. Os roubos de carga caíram 5%, e, no acumulado do ano, o indicador registrou a menor soma desde 2016 – representando um recuo de 19% na comparação.

Comparação trimestral por Área Integrada de Segurança Pública (AISP)

 Na comparação entre maio e julho de 2019 com o mesmo período de 2018, duas AISP da Baixada Fluminense tiveram resultados importantes: AISP 15 (Duque de Caxias) apresentou o maior recuo em morte por intervenção de agente do Estado e a segunda maior redução em roubo de rua. A AISP 24 (Queimados e adjacências) teve a maior queda nos homicídios dolosos.

Na capital, a AISP 16 (Olaria e adjacências) registrou a maior redução nos roubos de carga e o município de São Gonçalo (AISP 7) apresentou a maior diminuição nos roubos de rua e de veículos.

Os dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública são referentes aos Registros de Ocorrência (ROs) lavrados nas delegacias de Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro durante o mês de julho.




Assessoria de Imprensa do Instituto de Segurança Pública – ISP
Karina Nascimento - Tel: 2332-9690/ 98596-5264
e-mail: knascimento.isp@gmail.com / imprensaisp@gmail.com
www.isp.rj.gov.br

Visitantes: 517416
INSTITUTO DE SEGURANÇA PÚBLICA: Avenida Presidente Vargas, nº 817 - 16º andar - Centro CEP: 20.071-004 - Rio de Janeiro/RJ
Chefia de Gabinete - 2332-9709 / Comunicação Social 2332-9690 / Conselhos Comunitários de Segurança - CCS - 2332-9648 / 9693
Horário de Funcionamento do Protocolo: 09:00 às 17:00 horas
Tecnologia PRODERJ - Todos os direitos reservados